02/04/15

DAPV – Violência …

   Existem vários tipos de violência seja ela verbal, física ou psicológica … Infelizmente posso dizer que sei o que isso é pois apesar de não ter vivido todos os tipos de violência sei o que é a violência psicológica em forma de Bullying, durante três anos estive numa turma em que me metiam de parte, gozavam comigo, em grupos de trabalho não me queriam, se estivesse eu a apresentar um trabalho riam-se de mim e faziam de tudo para que eu ficasse nervosa,tudo porque de início me dava com uma rapariga com que eles começaram a gozar logo desde o primeiro dia, tudo porque era filha de uma professora.
Foram anos horríveis, no primeiro ano não respondia e só chorava, mas depois comecei a ganhar força e a responder, a fazer queixa, mas de nada adiantou eles ainda faziam com que me sentisse pior, para eles eu era o patinho feio e tinha era de estar longe, a minha vontade era desistir da escola para deixar de ver aquelas pessoas.
  Mas aguentei três anos assim, no último ano as coisas melhoraram um pouco, não me começaram a tratar melhor, pelo contrário, faziam igual ou pior, mas eu cresci enquanto pessoa, respondia-lhes e continuei a fazer queixa, só que desta vez procurei a ajuda dos meus pais e eles fizeram queixa da turma e aí tudo melhorou e a isso juntei o ter voltado para o karaté.
Nunca soube o que era ter um amigo durante aqueles três anos, os melhores momentos foram os de estágio porque estava longe de todos aqueles que me tratavam mal.
   Decidi falar disto porque o tema é violência e este tipo existe muito principalmente nas escolas, os adolescentes não sabem o mal que fazem quando tratam mal alguém.
Hoje sou uma pessoa que por vezes tem receio do que os outros vão achar de mim, não tenho muitos amigos, sou uma pessoa nervosa e isso tudo pelo que  vivi durante aqueles anos.
  Um conselho a quem passa por isto, façam queixa, procurem ajuda nos vossos pais, ninguém tem de ser humilhado e tratado como lixo, existe uma coisa que se chama respeito e todos temos esse direito.
Se por acaso alguém quiser falar deste assunto comigo está a vontade, gosto de ajudar e se conseguir farei com todo o gosto.











9 comentários:

  1. Obrigada pela participação ;)

    ResponderEliminar
  2. Acho que nunca sofri de nenhuma violencia... E ainda bem (:

    ResponderEliminar
  3. Acho que todos passamos por situações do género, infelizmente... Pelo menos eu passei, várias vezes, e só te digo que, enquanto nós nos tornamos mais fortes e crescemos com isso, aqueles que nos maltratam ficam na mesma :)

    ResponderEliminar
  4. Lamento que tenhas passado por isso querida mas acredito que isso só fez com que te tornasses ainda mais forte e melhor pessoa :) és uma lutadora e é muito bom que se continue a falar deste tipo de violência que muita gente decide ignorar.

    ResponderEliminar
  5. Passar por tudo isso deve ter sido bastante difícil para ti... Eu não consigo perceber esse tipo de mentalidades, mas como eu costumo dizer: Espera pelo karma, tarda mas não falha.
    Espero que agora não duvides de ti e que continues forte. Não deixes que mais ninguém te faça passar por isso. *

    ResponderEliminar
  6. Fico tão triste quando leio estas situações... Ainda bem que conseguiste superar e tens toda a razão, procurar ajuda é essencial :)

    ResponderEliminar
  7. Lamento que tenhas passado por isso, minha linda. E sei que pode parecer difícil olhar para toda esta situação e tentar encontrar um lado positivo, mas a verdade é que isso te deixou mais forte, caso contrário não terias denunciado. É importante, por mais que nos custe pedir ajuda, alertar para estas coisas porque há quem sofra em silêncio e isso é pior.

    ResponderEliminar
  8. Eu confesso que tive numa escala de 0 a 100 do que escreveste devo ter tido 10% disso e também durante uns longos 3 anos. Sempre fui a miuda que todos se davam bem e queriam estar, havia até discussões porque todos queriam-me ter no grupo. Quando mudei de escola as coisas mudaram, fiquei sem os meus amigos ao pé e vi-me ao pé de gente que ainda hoje não me consigo dar. Havia gente racista e nazi que só escrevia nas mesas porcaria. E depois haviam as ditas populares que chamo pelo que são verdadeiramente que são pêgas (desde que falam em quantos "gajos comem num fds" para mim serão sempre pegas). O que me safou foi mesmo o desprezo e ter amigos fora da turma. Nos trabalhos de grupo eu ficava sempre com o pessoal que sobrava mas nao era por isso qe tinhamos má nota, por acaso até lhe demos chapadas psicologicas porque fomos os melhores. E o que me lixou mais naquela altura é que uma amiga minha no ultimo ano pos-me de lado também para os trabalhos, fiquei mesmo magoada com ela mas quem acabou por ficar pior não fui eu.
    Hoje uma das pessoas com quem eu não me dava naquela turma, é meu afilhado académico, mudou completamente a postura, e é assim que também crescemos. Daquela turma, hoje apenas falo com ele, mas sei que se passar por eles na rua, alguns falam-me. E aí noto, a diferença de há 5 anos para cá neles.

    xx
    adonadasushi.blogspot.pt

    ResponderEliminar