19/02/17

" O amor é assim..." - Capítulo 22

                    Boa tarde meus amores, tal como prometi, aqui está o capítulo.

No capítulo anterior :
   Estiveram mais algum tempo a falar, até que chegou o momento da despedida.
Margarida ficou novamente sozinha naquele quarto, mas estava feliz, André tinha-se lembrado dela e tinha ido vê.-la.
  Abriu de novo a saca, tirou a camisola e abraçou-se a ela, mas foi quando ia guardar de novo a camisola que viu um papel dentro do saco.
 Pegou nele e leu-o: “ És uma menina muito especial, senti a tua falta, quando quiseres podes usar este número 91…… . ” Espero que me digas algo, beijo grande”.
- Uau, ele deu-me o número dele e sentiu a minha falta mesmo ….

*************************************************
  Margarida ficou demasiado feliz e surpreendida ao mesmo tempo, nunca pensou que um jogador de futebol e ainda por cima o seu ídolo fosse dar-lhe o número de telemóvel e visita-la.
Ficou pensativa, sorriu e a questão era apenas uma, mandava-lhe uma sms a agradecer-lhe ou não? Estava confusa e não sabia o que fazer, por um lado, o seu coração dizia-lhe para arriscar e ir em frente, mas por outro, a sua cabeça, dizia que ela tinha que ter os pés bem acentes no planeta terra e pensar bem nas consequências dos seus atos, pois cada atitude que temos, tem uma consequencia e pode ser boa ou má.
   Simplesmente, optou por guardar a camisola e o papel na saca e fechou os olhos, o melhor sem dúvida alguma seria descansar um pouco e mais logo tomaria a decisão acertada, não queria agir de cabeça quente, pois podia arrepender-se depois.

   Margarida adormeceu e quando acordou sentiu alguém a tocar-lhe na mão, não sabia quem era, mas estava a gostar do toque, sentiu-se segura e naquele momento sorriu e abriu os olhos.

- Que sorriso tão bonito, pequenina.

- És tu, Rodrigo. – Disse Margarida ao mesmo tempo que continuava a sorriu.

- Sim sou eu, ou querias que fosse outra pessoa em especial? – Riu-se.

- Que parvoíce, apenas fiquei contente ao ver que eras tu.

-  Por momentos pensei que querias que fosse aquele teu novo amigo.

- Talvez sim, ele tem sido uma boa companhia e acima de tudo um bom amigo, faz-me sentir bem, é bom sentir que ele se lembra e se precupa comigo, é uma sensação estranha.

- Estranha?

- Sim, à uns dias ele era apenas o meu ídolo e o jogador que mais admiro, como pessoa e como profissional, mas agora tudo mudou.

- Não te iludas demais, Margarida. Ele e tu são de mundos completamente diferentes.

- Eu sei que somos, ele é jogador de futebol e nunca iria ter nada com alguém como eu. – Disse suspirando, Margarida.

- Ei, não digas isso. Tu és linda e magnífica. – Sorrindo.

- Posso ser isso tudo mas estou presa a uma cama e nunca ninguém se iria prendar a alguém assim. – Uma lágrima escorreu pela face de Margarida.

- Tu vais ficar bem e vais conseguir concretizar o teu sonho de ser médica, tens de acreditar nisso.

Margarida
   Por momentos quando pressenti que estava alguém a meu lado, pensei que era o André, mas quando abri os olhos era o meu melhor amigo, Rodrigo.
Fiquei feliz também gosto muito da companhia dele e sei que é das pessoas que eu posso mais contar, que nunca me vai falhar, tem sido sem dúvida alguma um apoio enorme nestes últimos dias.
      A conversa que tive com ele chamou-me para uma realidade que até agora não tinha pensado, o André e eu somos de mundos diferentes, e eu infelizmente tenho que descer para o planeta terra e aceitar que eu e ele nunca poderemos ter uma amizade como a que tenho com o Rodrigo.
Mas apesar disto tudo, tenho sorte, conheci o meu ídolo e isso sem dúvida que é das melhores coisas que pode acontecer a uma fã.
   Tenho que tentar dar a volta à vida, recuperar e ganhar forças para lutar pelo sonho de ser médica.
 Sei que tenho um longo percurso pela frente e que vou passar por muito até conseguir voltar a andar, mas não vou desistir.

- E acredito nisso Rodrigo, eu não vou desistir, obrigada por estares aqui do meu lado,és um amigo maravilhoso. – Sorriu.

- Sabes que não precisas de agradecer, vou estar sempre aqui, para tudo, pequenina.

- É preciso sim agradecer, não é qualquer pessoa que iria perder o seu tempo, em vez de ir apanhar umas ondas, estar aqui fechado num hospital.

- Sabes uma coisa? Que iria fazer eu na praia, sem ti? Sem a minha parceira não ia ter piada nenhuma. Logo tenho que a ajudar a recuperar a 100% para depois ter mais pica. – Riu-se.

- Só tu para dizeres essas parvoíces, Rodrigo. – Sorriu.




E agora será que Margarida irá ou não mandar a sms a André? Que irá acontecer?

1 comentário: